Publicado por: rigson | 15, outubro, 2008

Aula Teórica XI – Gestação Gemelar

Alegria em dobro, cuidado em dobro!

A gestação gemelar ou gravidez múltipla é quando ocorre a presença de dois ou mais conceptos no útero materno ao mesmo tempo.

Para se ter uma idéia, na medicina existe um caso em que foram removidos ao todo 15 fetos de uma mãe que estava com quatro meses de gestação.

Nesse caso raríssimo, drogas fertilizantes foram às causas dessa gestação.

A gestação normal já apresenta alguns riscos, e no caso de uma gestação gemelar os riscos são ainda maiores, isso porque as chances de ocorrerem malformações e de óbito são aumentadas consideravelmente.

Atualmente, os nascimentos múltiplos são mais comuns devido ao estimulo a ovulação, que ocorre quando são administrados gonadotrofinas exógenas a mulheres com ausência de ovulação e aquelas que estão sendo tratadas contra infertilidade por fertilização in vitro e transferência de embriões.

Ocorrência de nascimentos múltiplos

Gêmeos

1 vez em cada 85

Trigêmeos

1 vez em cada 90²

Quádruplos

1 vez em cada 90³

Quíntuplos

1 vez em cada 904

Estas estimativas aumentam quando ovulações são induzidas por hormônios, uma técnica de uso geral em mulheres estéreis por oclusão tubária.

Classificando:

Monozigóticos(MZ)

Resultado da fecundação entre UM óvulo e UM espermatozóide, portanto são gêmeos monozigóticos. Também conhecidos como gêmeos idênticos pois possuem o mesmo sexo e o mesmo tipo sanguíneo além de serem muito parecidos fisicamente.

mz2

mz2

A formação de gêmeos MZ usualmente começa ainda no estágio de blastocisto ainda na primeira semana, e resulta na divisão do embrioblasto em dois primórdios embrionários. Subsequentemente, dois embriões, cada um em seu saco amniótico, desenvolven-se dentro do mesmo saco coriônico e partilham uma placenta comum – uma placenta gêmea monocoriônicadiamniótica. A separação precoce dos blastômeros embrionáriios é rara e resulta em gêmeos MZ com dois âmnios, dois corions e duas placentas, que podem ou não estar fundidas.

.

.

.

.

Dizigóticos (DZ)

São resultado da fecundação de dois espermatozóides e dois óvulos, portanto são gêmeos dizigóticos. Também conhecidos como gêmeos fraternos, podem ter o mesmo tipo sanguíneo ou não e o mesmo sexo ou não, mas como são formados por dois zigotos eles não são geneticamente mais semelhantes do que irmãos ou irmãs nascidos em épocas diferentes. Eles apenas partilharam o útero da mãe ao mesmo tempo.

Os gêmeos DZ tem sempre dois âmnios e dois córions, mas os corions e as placentas podem estar fundidos. A ocorrência de gêmeos DZ mostra uma tendência hereditária.

A incidência desse tipo de gemelaridade de acordo com populações:

1 em 500 nos asiáticos

1 em 125 em caucasianos

1 em 20 em algumas populações africanas

.

.

.

Outros Tipos de Nascimentos Múltiplos

Os trigêmeos podem derivar de: (1) um zigoto, e serem idênticos, (2) dois zigotos e consistirem em gêmeos idênticos mais uma criança diferente, ou (3) três zigotos e serem do mesmo sexo ou de sexos diferentes. No ultimo caso, os bebes não são mais parecidos entre si do que três crianças nascidas de três gravidezes distintas. Combinações semelhantes ocorrem com quadrigêmeos, quíntuplos e sêxtuplos.

Superfecundação

É a fertilização de dois ou mais óvulos em momentos próximos por espermatozóides de homens diferentes, Este fenômeno acontece comumente em alguns mamíferos. Gêmeos dizigóticos humanos com pais diferentes já foram confirmados por marcadores genéticos.

Gêmeos Conjugados (Siameses)

Se a massa celular interna, ou o disco embrionário, não se dividir completamente, vários tipos de gêmeos conjugados podem formar-se. Estes gêmeos unidos recebem nomes de acordo com a região do corpo pela qual estão unidos. Em alguns casos estes gêmeos podem ser separados com sucesso por procedimentos cirúrgicos, geralmente quando não compartilham de nenhum orgão vital, como por exemplo pulmão ou coração.

Tipos de gêmeos siameses


.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Algumas curiosidadades estatísticas sobre gêmeos conjugados:

  • 1 em cada 400 gestações gemelares, será de gêmeos conjugados.
  • Na africa, 1 em cada 14.000 nascimentos será de conjugados.
  • Dos gêmeos siameses, 71% são do sexo feminino.
  • 60% dos gêmeos conjugados morrem ainda no útero, e 35% dos que sobrevivem ao nascimento morrem nas primeiras 24 horas.
  • De todos os gêmeos monoamnióticos, monocoriônicos monozigóticos, 10% são conjugados.

Diagnóstico da gestação gemelar

O diagnóstico precoce da gestação gemelar através de ultra-sonografia realizada no primeiro trimestre da gestação é fundamental para o bom acompanhamento da gestação gemelar.

A ultra-sonografia realizada a partir de 6 a 7 semanas de gestação pode diagnosticar o tipo de gestação gemelar, avaliando se a gestação é monozigótica (gêmeos idênticos) ou dizigótica (gêmeos fraternos). A realização de ultra-sonografia nesta fase tem ainda a importância de datar corretamente a gestação, diagnosticar quantas placentas estão se desenvolvendo na gestação gemelar estudada (termo chamado de corionicidade) e quantos sacos amnióticos (bolsas) existem (termo chamado de amnionicidade). Tanto a corionicidade quanto a amnionicidade são mais facilmente diagnosticados na fase inicial da gestação.

Síndrome da Transfusão entre Gêmeos ( Transfusão Gêmeo-gemelar )

Esta síndrome ocorre em mais de 30% dos gêmeos MZ monocoriônicos-diamnióticos. Há passagem direta de sangue arterial de um gêmeo para a circulação venosa do outro gêmeo através de anastomoses arteriovenosas. O gêmeo doador é pequeno, pálido e anêmico, enquanto que o gêmeo receptor é grande e policitêmico ( aumento acima do normal do número de hemácias ). A placenta apresenta anormalidades semelhantes; a parte da placenta que supre o gêmeo anêmico é pálida, enquanto que a que supre o gêmeo policitêmico é vermelho escuro. Em casos letais, a morte resulta da anemia do gêmeo doador e da insuficiência cardíaca congestiva do receptor.

.

.

.

.

.

.

.

Na figura a percebe-se o cordão umbilical do feto morto amputado .

.

.

.

.

..

.

.

.

.

.

.

.

.


Artigos:

Gestação trigemelar espontânea: Complicações Maternas e Resultados Perinatais

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-72032000000700003&lng=pt

Analisando o artigo acima, percebe-se o grau elevado de complicações que acometem as gestantes de gestação trigemelar. Como se sabe, as gestações múltiplas são sempre de alto risco, e esse risco aumenta progressivamente com o aumento no numero de fetos, e por isso deve se dar atenção especial a esse tipo de gestação. Um dado interessante é o do número de gestantes internadas antes do parto para a inibição de trabalho prematuro, que foi bastante elevado cerca de 83%. Outro dado bastante importante é o número de nascimentos prematuros que foram exatamente 11 dos 18, que corresponde a 61%. Lembrando ainda que todos os casos deste estudo foram gestações gemelares espontâneas.

Gravidez Gemelar com Morte Fetal de Um dos Gêmeos: Avaliação Neurológica dos Gemelares Sobreviventes

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-72032002000200006%094

Coloquei o artigo porque ele causou-me dúvidas e porque achei interessante do ponto de vista da possibilidade de haver lesões neurológicas nos gemelares sobreviventes . Apenas um caso foi constatado com lesão neurológica, porém é possível que as muitas intercorrências
perinatais que este individuo teve, sejam as causas do dano neurológico.

fontes:

MOORE, Keith L. Persaud.: Embriologia Clinica. 7ed. Rio de Janeiro, Elsevier Editora, 2004.

T.W. SADLER. Langman Embriologia Médica. 8ed. Rio de Janeiro, GUANABARA KOOGAN, 2001.

http://www3.telus.net/tyee/multiples/septuplets.html

http://www.cpdt.com.br/sys/interna.asp?id_secao=4&id_noticia=395

http://fetus.ucsfmedicalcenter.org/twin/learn_more.asp

http://www.nature.com/jp/journal/v28/n5/fig_tab/7211927f3.html#figure-title

Outras fontes: Anotações em aula.


Responses

  1. coitados


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: